OAbutre

Por: Matheus Gama

Dirigido e Escrito por: Dan Gilroy

Elenco: Jake Gyllenhaal, Rene Russo, Riz Ahmed, Bill Paxton, Ann Cusack, Kevin Rahm, Jonny Coyne e Kathleen York.

Sinopse: Enfrentando dificuldades para conseguir um emprego formal, o jovem Louis Bloom (Jake Gyllenhaal) decide entrar no agitado submundo do jornalismo criminal independente de Los Angeles. A fórmula é correr atrás de crimes e acidentes chocantes, registrar tudo e vender a história para a imprensa.

O roteirista Dan Gilroy (Gigantes de Aço, O Legado Bourne) pela primeira vez em sua carreira dirige um filme, e sem sombra de dúvidas um excelente filme. Com uma temática bem interessante, o jornalismo criminal, aquele vemos quase todos os dias na TV brasileira, “corta pra mim”, “eu quero imagens” e dentre outros jargões usados pelos apresentadores dos programas policiais.

Ao abordar essa temática Gilroy nos faz refletir sobre nossas questões morais como seres humanos, como por exemplo, até que ponto nós rompemos nossa sensibilidade humana com o próximo, para obter uma vantagem pessoal. Como somos capazes de filmar uma desgraça alheia e compartilhar na internet, sem ter compaixão ou a mínima sensibilidade em acionar ao menos um telefone de emergência.

Essas questões no filme ficam bem explícitas, como por exemplo, quando Bloom chega antes da policia em um local de um acidente e move o corpo da vítima para obter uma melhor imagem, quando o mesmo sabota o equipamento do concorrente ou mesmo explora até o limite seu funcionário, uma pessoa de seu convívio diário.

Com isso nós temos um personagem que faz sua carreira de maneira oportunista, atente-se ao carro do personagem, no começo ele tem um carro velho e pequeno e depois ele compra um carro robusto na cor vermelha, uma mera interpretação de que ele fez suas conquistas de forma quase que sanguinária.

Jake Gyllenhaal nos entrega um personagem determinado, frio e que nos faz admirar sua inteligência, mas ao mesmo tempo ter medo dela. O cabelo Bloom é um aspecto físico que também colabora na sua personalidade, como por exemplo, em determinadas cenas que ele amarra o cabelo transmitido mais confiança em suas ações, outro ponto também é cor do interior de sua casa, um azul escuro, que pode representar confiança, mas ao mesmo tempo solidão e depressão.

Outros dois atores que são destaque são Rene Russo que nos apresenta uma personagem com muitas semelhanças ao protagonista, mas sempre confusa e perdida quando confrontada pelo mesmo. Outro destaque é Riz Ahmed, que talvez represente uma concepção humana de o quanto podemos mudar, de inicio seu personagem, Rick, apresenta um bom senso, como, por exemplo, quando ele questiona Bloom se existe a necessidade de filmar um colega de profissão acidentado, e com o desenvolvimento da trama ele se transforma, chegando ao ponto de confrontar Bloom, usando dos seus mesmos argumentos dos quais sempre ouviu.

O filme tem um permissa interessante, e nos faz questionar e refletir não só sobre o jornalismo que vemos diariamente na TV, mas também sobre nós como seres humanos, até que ponto podemos chegar, de o quanto é fácil rompermos questões éticas para benefício próprio, o quanto é fácil nos tornarmos abutres carniceiros. Gilroy faz o espectador submergir na trama de forma habilidosa, com excelentes atuações e um Gyllenhaal atuando de forma espetacular.

Méritos também para a tradução do título, que no original é Nightcrawler (Noturno), e em português ficou O Abutre.

Leave a comment